hits from the bong:

quinta-feira, 2 de julho de 2015

PDS - day 6 - Au revoir

Para o ultimo dia, estava-nos reservado o pior.
 
Depois de tudo arrumado e de termos a casa limpa, ligámos à mme. Letitia para ir lá ter connosco e nos devolver o dinheirinho que tinha de caução. Não se esqueçam que somos da europa do sul e o dinheirinho nos faz muita falta… Mas assim que chegou, e apesar de não ter reparado logo na braçadeira da SS, começou um dos momentos mais surreais da nossa estadia… entra a senhora pela casa adentro a gritar “sortir sortir” e a mandar vir connosco em francês porque a casa não estava limpa. Sempre aos berros, a coisa subiu um bocado de tom quando decidiu fechar uma porta em cima do Jay, mas deu-se mal, pois o Jay travou a porta com o pé e no retorno, foi a nazi que levou com ela. Antes que o confronto passasse para outro nível, metemos o Jay e o Carlos a tirar as coisas de casa, e fiquei eu e o Telmo a tratar de receber a caução de volta. Ela contava em Francês, e pela enésima vez naqueles dias, perguntava-me a mim mesmo como é que alguém decide dizer “oitenta” como sendo “quatro vintes”. É realmente estupido. Conhecia o binário, o decimal, e o hexa-decimal… o “vigésimal” ainda não, e parece-me que continuo sem perceber porque é que noventa e cinco são “quatro vintes e quinze”. À medida que a nazi debitava palavras em francês, só me lembrava do clássico dos S.O.D., “Speak English or Die”. Já com o material todo no exterior e com o dinheiro na mão, despedimo-nos convenientemente da Eva Braun, que quando tentou arrancar com o carro do estacionamento o deixou ir abaixo. A risada alta e em tom de gozo que este quatro marmanjos imediatamente proferiram valeram um dedo esticado para fora do carro quando já se encontrava a uma distância segura.

Mas ainda estava o stress a meio. O nosso transfer teimava em não aparecer e quando ligámos a saber o que se passava, percebemos que o nosso condutor tinha tirado uma folga. Estavamos a ficar apertados de tempo, e após uma enervante e longuíssima espera, aparece finalmente o nosso transfer, com mais de duas horas de atraso. Iamos ter de fazer uma corrida até ao aeroporto. A viagem foi feita sempre a olhar para o relógio, e chegámos ao aeroporto 5 minutos antes de se fechar o check-in. E quando finalmente o fizemos, descobrimos que o nosso voo estava super atrasado!

Deu para visitar o aeroporto e fazer umas compras nas free-shops. Depois de embarcados, este era o voo onde íamos ter tratamento VIP, pois o Telmo era amigo de um amigo que tinha um amigo naquela tripulação! Uma simpática hospedeira veio dizer-nos que dois de nós podiam aterrar no cockpit. Um seria o Telmo o outro, por sorteio, foi o Jay J. Apesar do dia stressante, esta foi uma excelente forma de terminarmos a nossa trip ao passportes!

Não quero terminar sem deixar aqui um abraço a estes três malucos que comigo fizeram esta trip. Inesquecível bros!

E como na vida, tem de haver sempre um objectivo inatingível, começa-se a ouvir uns sussurros que parece que dizem “Whistler”, “Kamloops”, “Mammoth Mountain”, “Kamikaze”, “Repack” , “Utah” e “Marin County”. Quem sabe se em 2020….

PDS Day 5 - Happy BirthJay

O domingo ia ser o nosso ultimo dia por aquelas bandas. Apesar de chover ainda mais que no dia anterior, havia muita vontade de ir andar de bike. O Jay e o Telmo tinham uma GT Fury para ir desbravar o BP de Chatel e umas bikes daquelas não podiam ficar ali paradas! O Carlos já estava mais na onde de começar a desmontar a Berg,e a mim, com o cansaço acumulado e com o dia a pedir mais mantinha do que calções de lycra, apetecia-me mais uma volta de descompressão a apreciar a paisagem envolvente do que um ride de integral, a ver só os 20 metros de trilho à minha frente e a lutar pela vida com a lama nos trilhos.

O Jay fazia 35 anos, e muito correctamente, quis comemorá-los nas inclinadas pistas de Chatel! Não havendo velas para apagar, há trilhos por desbravar!

Enquanto Jay e o Telmo se equipavam para uma “donilzada”, eu vestia os calçonitos e punha o penico na cabeça. Fui trepando devagarinho até ao bike park de chatel e a chuva intensa dos últimos dois dias tinha deixado a zona um pouco diferente de quando tínhamos chegado, e a meio da viagem, fui presenteado com a vista magnifica de uma cascata com uns 100 metros de altura. Depois de chegado ao BP, acabei por também encontrar o Jay e o Telmo que já tinham lama até aos dentes, mas que, apesar de ensopados, apresentavam um sorriso que não deixava enganar! Subi ainda mais um pouco e comecei o retorno até ao chalet, que ia ser feito por um caminho diferente.

Foi nessa alternativa que encontrei um parque para “low speed skills”, que apesar de parecer divertido, estava um bocado impraticável por as madeiras se encontrarem super escorregadias. Ainda deu para brincar um bocado antes de regressar ao chalet para se começar a operação de desmontagem da Pitch. Entretanto, chegaram o Jay e o Telmo e cerca de 10 kilos de lama. É que os “miúdos” não contentes do banho de lama que tinham levado, decidiram ir lavar-se a um rio. Os vídeos contam o resto da historia!

Depois dos banhos tomados, fomos até Chatel mais uma vez, para nos despedirmos do Alex e da terrinha e regressamos ao chalet para começar a arrumar as tralhas, que o próximo dia, era o do regresso!

Here we go again

Calma pessoal. É verdade que estivemos adormecidos, mas ainda não nos fomos embora de vez. A verdade é que depois de um relato tão épico como o da nossa bike trip do ano passado, parece-me que, qualquer que seja a noticia que pense em publicar, é demasiado pequena para quem já fez rides tão "em grande". Desde os Alpes que todos os palcos me parecem pequenos, todas as descidas curtas, e todas as encostas pouco inclinadas

Apesar de , em quase um ano desde o ultimo post, haver tanto para contar, o que me trouxe aqui outra vez, foi novamente a nossa trip do ano passado. Ainda havia dois dias por "contar" e tinha ficado prometido um "extended edit" do Pass'portes. Aproveitei estas 3 semanas de férias para o fazer (tem para aí  uns 90m!), e agora só falta fazer a ante-estreia lá em casa, acompanhada por umas cervejas (idealmente umas Hoegaarden) e uns bons petiscos :)