hits from the bong:

domingo, 26 de outubro de 2014

PDS day 4 - the aftermath

O 4º dia, apesar de ninguém o querer admitir, estava à partida condenado. Ninguém leva uma sova daquelas e acorda no dia seguinte às 7 da manhã a pensar em ir andar de bicicleta. Mas há sempre uns teimosos… Acordámos já bem tarde, por volta das 11 da manhã e chovia copiosamente. Os primeiros pensamentos do dia, depois do “boa puto, conseguiste”, foram solidários com os fellow riders que estavam a fazer o passportes naquele dia. Se aquilo com tempo seco tinha sido difícil, nem queria imaginar os desgraçadinhos que estavam a fazer aquilo à chuva. O dia e as dores musculares convidavam a ficar na cama, mas não só tinha sido o desgraçado que dormia no sofá, como nem me passava pela cabeça estar ali sem ir andar de bike.


 the switchback kings

O Telmo e o Jay tinham alugado duas montadas de DH, mas o dia de chuva e as dores no corpo deixaram o Jay “com um mau feeling” para o dia, e a Lapierre 720DH estava ali sozinha… essa foi a primeira borla do dia e deixei a Pitch no estaleiro, pedi o canhão ao Jay, e com o Telmo, fizemo-nos à estrada rumo ao bike park de Chatel. Depois de termos andado uma boa meia hora debaixo de chuva, decidimos começar a pedir boleia e depois de umas tentativas falhadas, acabámos por ter mais uma borla… uma rapariga simpática, a Emilie, decidiu ter pena de nós e levou-nos a nós e às bikes na sua pickup até ao bike park. 

 rainy days...

Entretanto, e como já era hora de almoço e a fome começou a apertar, decidimos que, atendendo à nossa condição de “portugueses sob assistência”, devíamos de tentar ir comer de borla até à terrinha que nos tinha recebido tão bem no dia anterior: Les Lindarets. Subimos os dois teleféricos de Chatel e descemos até ao vale onde havia umas tartiflettes. Foi um fartote de lama e de “close calls”, pois o piso estava difícil, mas os pulsos doíam tanto que quase que era mais seguro não travar. Chegamos sorrateiramente a Les Lindarets, e de um modo sereno, típico de quem já come à conta dos Europeus (do norte) há uns anos valentes, fomos para ao pé do paddock, comemos umas tartiflettes e bebemos umas Rivellas como se nada fosse connosco.

undercover smooth arrival @ Les Lindarets

Com a barriga mais composta andámos a fazer umas descidas em modo super slow motion entre Lindarets e Chatel, a rebolar na lama e a fazer drifts, mas de facto, o corpo estava super moído e, a meio da tarde decidimos ir andando até Chatel. A lama era tanta, que na fila para lavagem das bikes,  havia uns putos a tirar lama da bike e a fazer bolas para atirar! Do bike park até ao nosso chalet era sempre a descer, mas ainda nos esperava a subida até à vila. Como tema do dia era a palavra “gratuito” estávamos a ficar um pouco desiludidos em termos de ir a pé até à vila, e quando passou um autocarro, levantámos as mãos a pedir colinho e para nosso espanto, o motorista parou uns metros à frente. Mais uma borla!



 A merecida recompensa!

 
Depois de entregues as bikes num estado mais aceitável que o nosso, fomos espalhar lama para uma esplanada onde nos parecia que estavam umas Hoegaarden à nossa espera. Dois “pints” depois, e já alegremente alcoolizados, fomos até ao chalet, onde o Jay e o Carlos nos aguardavam para o jantar.


 Let the good times roll...