sábado, 9 de maio de 2009

crise? qual crise?


Depois de tanto tempo como leitor, foi hoje que decidi ser também autor de um post (espero que vos dê tanto prazer e entusiasmo a ler, como eu tenho e sinto quando leio um dos vossos). Se desde o início tenho sido um dos maiores contribuintes nas campanhas da GAS, a pergunta que se impõe é, porquê postar logo hoje?


Dou-vos duas pistas, vencer a inércia que um corpo de 1,88m e 93kg necessita nem sempre é fácil, e quando se consegue temos que canalizar os esforços para assuntos tidos como prioritários, do tipo alimentação, satisfação de necessidades fisiológicas básicas, carregar no botão do comando, esse tipo de cenas…a outra pista que vos deixo é que hoje relembrei-me do quão divertido o downhill pode ser – e esta sim é a verdadeira resposta á minha pergunta!


Quem costuma raidar comigo sabe que nos últimos tempos atravessava uma crise de confiança acentuada, fruto de mais dois ou três valentes baptismos por essas pistas fora, e isto é tão verdade que até numa prova de 60km me inscrevi, sim sou eu o autor da expressão “tou mais virado pó cross”, mas meus amigos e colegas raiders, acho que hoje virei a pagina da crise de confiança que me seguia desde a altura das minhas queridas e saudosas (ate hoje) chuvas, que tão deslizantes e escorregadios deixavam os trilhos malveirenses.


Como já não descíamos os três juntos (sub, covas, e eu) á uns valentes meses decidimos subir a serra a pé para matar saudades. Em boa hora o fizemos, porque conseguimos ver que a luta naqueles lados não pára, e ainda bem, a não ser que sejas uma acácia! Assim e a duas secções do inicio da pista pusemos os capacetes e decidimos descer! Foi uma descida controlada até porque nenhum de nós descia á uns tempos e isso sente-se e de que maneira! Após umas semanas a andar com outra máquina, ainda por cima numa rígida, aqueles 1ºs metros de trilho foram como se tivesse numa bike totalmente nova. Mas foram sensações que duraram pouco, á medida que ia passando pelos micro-ondas e dropando obstáculos começava-me a lembrar das suas reações e do seu feitiozinho temperamental. Como dois amantes que não se vêem á algum tempo, e se encontram casualmente num café, o próximo passo seria monta-la á séria!


Decidimos voltar ao método spacestariano e lá fomos nós serra a cima, sendo eu o primeiro condutor do dia! Desta forma calhou ao sub ser o padrinho do nosso stoxx no “ride a lightning” e pelo que sei foi um baptismo memorável, mas deixo essa crónica para um dos seus participantes. Assim que chegou a minha vez de descer, começamos logo bem, e conseguimos fazer tudo limpinho o que me deu uma moral extra para o resto daquela descida. A esta altura já nem me lembrava da crise de confiança. Crise? Só mesmo a económica!


Com tanta moral, no meu caso especifico normalmente só há uma saída, e é rezar para que não seja muito dolorosa! Para vos tranquilizar desde já, adianto-vos que apenas me aleijei na pontinha do dedo anelar da mão direita, digo-vos que foi uma sorte do c#**#” so me ter aleijado aí. Vinha louco (quando somos nós parece que vamos sempre a 300km\h) na zona dos degraus, e no último perco o controlo da menina, ainda tento desviar-me duns cepos encostados ao lado direito da pista mas esqueci-me que a seguir tinha uma árvore, só tive de tempo de fechar os olhos e pensar; este vai ser dos fodidos! Acho que foi a 1ª vez que fechei os olhos á espera do embate, mas quando estou á espera dum BUM CATRAPUM PUM PUM, surge um silencioso.... já está???? Não foi assim tão fodido! Uns raspões, uma dormência no dedo e tá bom, agarra na bike e vamos continuar que isto hoje ta muita bom! Continuei a descer com um sorriso parvo que nem um dos espetas com mais velocidade que tive conseguiu arrancar! Na descida seguinte o registo continuou e continuei a morder os calcanhares de quem quer que fosse á minha frente, acho mesmo que, se fosse o Pastrana á minha frente também ele levava uma buzinadela para sair dali que me estava a atrasar as cronometragens. Tempo ainda para sacar o melhor table que alguma vez consegui sacar, e que mais pica me deu fazer! Ainda vinha no ar e já estava aos gritos!! Foi mesmo bacano!


Não posso deixar de dar uma palavra de grande apreço e de admiração ao nosso stoxx que após uma longa paragem voltou ás descidas e já com um ritmo bastante apreciável e nada espectável para quem tava parado á tanto tempo. Mas pelos vistos tudo o que for feito a menos de 250km/h e abaixo dos 4km de altura já não dá pica!


E assim se fez mais uma manha nos trilhos da Malveira, e que manhã! onde mais uma vez a boa disposição reinou!


Crise só mesmo na bolsa!


"malcheirosa e de feitio temperamental"

abrç
jay

6 comentários:

.: sub :. disse...

Pois é meu velho, foi bom ver que ainda nao perdemos os jeito para andarmos ali a arrastar pelo chão. Os 3 estarolas estão de volta, um bocadinho a mao e o resto a derrapar. E este fds, o "andarilho de ouro" não ficou atribuido a ninguem!

aquele abraço!
granda post :)

TC disse...

Humm, será que o "andarilho" não veio para mim esta semana? É que com a quantidade de quedas que eu dei, não sei não...
Ganda Jay, aqueles dois tables foram mesmo demais!! Dá-lhe Zé Manel!!!

T

jay disse...

na minha opiniao nao mereces o andarilho, bem pelo contrario! foi muito tempo sem te montares nela

hugo disse...

tas feito valente... pena é que ouço dizer que toda a gente te grita pa que largues os travoes...por isso como é que andas depressa?!?!?

hugo disse...

valente valente é se tirares travoes a cabra...ai sim és valente...

.: sub :. disse...

o homem ja desceu sintra de rigida e sem o travao da frente... ta filmado e tudo!